quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O dia do casamento - Capítulo XVII



Sim, ficar longe realmente seria o melhor, a única maneira de esquecer um grande amor... Esquecer não, esquecer talvez seja uma palavra muito forte, não se "esquece" um grande amor, apenas com a ausência fica mais fácil de viver...Enfim, chega o esperado dia do casamento, Luiza está se arrumando, sente duvida, mas não pode desistir. Apolo já está pronto, também sente uma leve dúvida, um certo medo por tudo que houvera acontecido em seu "outro" casamento, mas está certo de que deve se casar e ser feliz com Luiza. Então chega o momento, um casamento simples, e desta vez, não teve interrupções, Luiza, finalmente casou-se com Apolo... Os dois vão para o apartamento que haviam preparado há uns dois anos.


-Lu, você não imagina como estou feliz, que bom que desta vez deu certo!

-É mesmo – Luiza dá um sorriso sem graça.

-Vou tomar banho meu amor, precisamos descansar. Aliás, já decidiu aonde quer passar a lua de mel?

-Não amor, depois conversamos sobre isso.


Apolo então foi tomar seu banho feliz da vida, realmente, casar-se com Luiza foi a melhor coisa que já acontecera em sua vida. Luiza, por incrível que pareça, apesar de sua determinação, sente-se arrependida, havia casado, casamento é uma coisa muito séria, não era como um simples noivado que pudera desistir a qualquer momento, agora ela tinha assinado uns papeis que mudara a vida dela. Pietro não saia de sua cabeça... Foi até a porta de banheiro e disse a Apolo:


-Amor, estou indo até a casa de minha mãe – a casa de sua mãe ficava apenas a uns 30 minutos dali...

-Como assim na casa de sua mãe?

-Estou com saudades dela...

-Você acabou de vê-la Luiza.

-É eu sei, mas...

-Ta bom Lu, espere eu sair que vou contigo até lá.

-NÃO!

-Ham? Como não? Porque Luiza?

-Ah amor, é porque você deve estar cansado e eu volto logo, só vou dar um beijo na minha mãe, sabe como é, é a primeira noite que vou passar sem ela, é estranho...

-Mas Lu, você dormia na casa de suas amigas e não era estranho, agora você é minha esposa, você tem que ficar comigo.

-Eu sei amor, mas é diferente, você não entende, eu sei... Mas olha, estou indo, tchau beijos, te am... amo!

-Tchau Lu, eu também te amo muito viu. Volta logo!


Então Luiza sai, não vai a casa de sua mãe... Anda meio sem rumo, tem vontade de ir a casa de Pietro, não sabe se deve... Mas vai...

3 comentários:

by aguia81 disse...

Confesso que não li todos os capítulos desta história (afinal, são mais de 10!!)
Assim que puder vou dar uma olhada nos anteriores ok?
Sobre este capítulo XVII, destaco tua frase sobre "...uma amor não se esquece...".
Realmente um amor não se esquece assim, de uma hora para outra, mas a distância deste amor pode sim amenizar a dor.
Parabéns! Bjs

http://aguia81.blogspot.com

Zaah disse...

A distância ameniza. Com certeza.

wallis disse...

Ah, então finalmente aconteceu o bendito casamento! rsrsrsrsr